Feng Shui – Mitos e Verdades

Recentemente chegou-me às mãos um artigo impresso que se propunha a esclarecer mitos e verdades sobre o Feng Shui. Infelizmente, tal artigo, ao invés de esclarecer, acabava reforçando idéias equivocadas sobre essa magnífica técnica chinesa.

Resolvi, então, tecer comentários sobre alguns pontos básicos abordados no artigo. Não menciono a publicação nem seu autor, pois não tenho intenção de atacar nenhum profissional ou instituição. Meu objetivo é esclarecer aos interessados no feng shui, sejam iniciantes ou nem tanto, e até mesmo aos céticos, o que ele realmente representa.

A milenar técnica chinesa de harmonização de ambientes tem um só propósito: o bem-estar.

Esta afirmação não chega a estar errada, mas é uma simplificação excessiva dos objetivos do feng shui e de todos os benefícios que ele pode trazer. O feng shui pode auxiliar na melhora de problemas de saúde, favorecer a prosperidade, trazer mais harmonia aos relacionamentos, entre tantos outros efeitos benéficos que extrapolam o conceito de bem-estar puro e simples.

O feng shui mistura cultura mandarim, crenças e decoração.

Talvez a população leiga da China associe elementos de sua cultura à pratica do feng shui. No entanto, o feng shui estudado com seriedade, tendo como base os clássicos chineses interpretados à luz dos conhecimentos de nosso século, nenhuma relação tem com a cultura mandarim ou crenças populares. As técnicas do feng shui foram desenvolvidas a partir do conjunto de conhecimentos da metafísica chinesa, que engloba conceitos que somente agora estão começando a ser alcançados pelo mundo científico ocidental.

… passou por muitas tropicalizações, limpando traços que só tinham significado na China.

As teorias e fórmulas do feng shui permanecem as mesmas há séculos, pois são baseadas num estudo aprofundado das relações entre a distribuição da energia nos ambientes e seus efeitos sobre as pessoas. São fórmulas válidas em qualquer tempo e cultura, não precisando, portanto, sofrer qualquer tipo de adaptação em função de latitude, longitude, clima ou costumes.

As cores (…) provocam emoções. Isso explica os benefícios da tão famosa parede vermelha, (…) a cor estimula os sentidos.

A cor vermelha no feng shui é usada como representação do elemento fogo. Dependendo da combinação das energias presentes no local, de acordo com a fórmula das Estrelas Voadoras, ela tanto pode trazer benefícios espetaculares, quanto acontecimentos catastróficos. Na dúvida, é mais seguro não usar o vermelho em grandes extensões, somente em detalhes.

Pelo feng shui, alguns elementos são fundamentais. Aquários e fontes estão entre eles.

É possível implementar o feng shui em um imóvel e obter excelentes resultados mesmo sem o uso de aquários ou fontes. Assim como a cor vermelha, esses objetos podem ser excelentes ou péssimos, dependendo do local onde são posicionados.

Os chineses acreditam que a energia cósmica sai da água.

Se a energia é cósmica, ela tem sua origem no espaço, e não na água. O feng shui trabalha sobre o conceito de qi, que pode ser traduzido grosseiramente por energia vital, por falta de termo mais adequado. O qi da Terra é o conjunto das energias geradas pelos astros e planetas, pela própria Terra e pelos seres que nela habitam. O qi pode ser acumulado na água e estimulado pelo seu movimento.

Prefira objetos circulares a quinas e formas retangulares, pois, pela tradição oriental, ângulos com mais de 90º lembram objetos pontiagudos, agressivos e cortantes.

Esta é mais uma generalização. Cada um dos Cinco Elementos usados pelo feng shui, acupuntura e medicina chinesa, e também nas artes marciais, está associado a formas, cores e materiais. Objetos quadrados, retangulares e triangulares são associados aos elementos Terra, Madeira e Fogo, respectivamente. Eles podem ser elementos indicados para harmonizar ambientes.

O ba guá – bússola que relaciona os pontos cardeais e a astrologia chinesa – é apenas um amuleto.

O ba guá não é um amuleto, embora muitas pessoas o usem como tal. Ele é uma ferramenta de estudo da dinâmica das energias que constituem tudo que existe no mundo material, e suas relações com o mundo sutil. O ba guá também não é uma bússola. Na verdade, ele está incluído no instrumento de diagnóstico do feng shui tradicional chinês chamado Luo Pan, que contém uma bússola no centro e vários anéis periféricos com informações necessárias ao diagnóstico das energias.

O feng shui não muda o destino ou a sorte de ninguém. Ele transforma ambientes, possibilitando que as pessoas exerçam suas potencialidades ao extremo.

Esta é uma afirmativa bastante acertada. O feng shui é apenas uma ferramenta de auxílio extremamente eficaz, mas não é responsável por todas as graças ou desgraças que nos atingem. Na filosofia chinesa, a vida de uma pessoa é condicionada pela relação entre Céu, Homem e Terra. Veja mais no artigo “O Real Objetivo do Feng Shui“.

Artigos Relacionados

Bibliografia de Geobiologia Geobiologia e Radiestesia Geobiologia - A Arte do Bem Sentir Allan Lopes Pires e Juan Sáez, Ed. Triom. Arte Zahorí - Geobiología Consciente Juan...
Obra ao Vivo – Parte 3 Nesta série de nosso blog, você poderá acompanhar, semana a semana, a execução da obra de reforma de um apartament...
O que são as Estrelas Voadoras do Feng Shui? Entenda o que são as famosas Estrelas Voadoras de que tanto falam os consultores de Feng Shui e os estudiosos do assunto. O Feng Shui Tradicional Chi...
Aline Mendes

About Aline Mendes

Arquiteta e mãe de três. Mestre em Feng Shui pelo Feng Shui Research Center - Mestre Joseph Yu. Geobióloga e radiestesista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assinar o Informativo