Crianças Índigo e o Feng Shui

Como as crianças da nova era – índigo, cristal, diamante – são afetadas pelos ambientes e o que podemos fazer para facilitar essa relação.

Muito se tem falado nos últimos anos sobre as crianças índigo. Toda uma geração de crianças com características que não estávamos acostumados a encontrar em crianças até pouco tempo atrás. Muito perspicazes, já nascem olhando nos olhos, falam e andam mais rápido do que há uma década, surpreendendo os pediatras. Uma das características dessas crianças é a sua grande sensibilidade, que quando mal compreendida pode gerar muitos transtornos a elas.

Ao longo de vários anos de prática, e compartilhando experiências com outros consultores de Feng Shui Tradicional Chinês em todo o mundo, pudemos observar como as energias dos ambientes influenciam mais agudamente essas crianças. Por serem muito sensíveis, rapidamente percebem quando estão em um local desfavorável, e ficam muito inquietas. Quando são obrigadas a permanecer por várias horas nestes locais, em casa ou na escola, logo se tornam agitadas, irritadiças, desconcentradas, chegando a ficar doentes. Em compensação, assim que o ambiente é harmonizado ou são deslocadas para um local sadio, com a mesma rapidez recuperam sua serenidade e sua saúde.

Isso acontece, naturalmente, com todas as crianças, por possuírem uma estrutura energética mais delicada, mais vulnerável que a dos adultos. Apesar disso, ao longo de vários anos de estudos, notamos que as mesmas crianças que podem ser classificadas como índigo, são também aquelas que apresentam reações mais acentuadas e mais rápidas às energias dos ambientes.

diamante céu azul nuvens

Um caso real de influência nociva do ambiente

Há alguns anos analisei o apartamento de uma cliente que tinha uma filha de seis anos. Desde o nascimento, a menina nunca havia dormido bem, custava a pegar no sono, e assim que se tornou um pouco mais dona de si, insistia em dormir no sofá da sala. Mesmo quando os pais estavam com a TV ligada, ela conseguia dormir tranqüilamente neste local. Caso fosse obrigada a dormir no quarto, tinha o sono inquieto e cortado por pesadelos freqüentes. Também era uma menina bastante irritadiça e até um pouco rebelde.

Analisando o Feng Shui do imóvel, constatei que no quarto da menina predominavam energias extremamente prejudiciais à saúde física e mental, que poderiam inclusive comprometer o desenvolvimento intelectual da criança. Sugeri algumas curas para amenizar um pouco o problema, e recomendei que se mudassem de apartamento, já que não havia outro quarto disponível para colocar a criança.

Algum tempo depois, a família se mudou para um novo imóvel. A mãe, angustiada, já previa a dificuldade que seria fazer a menina dormir a primeira noite em um quarto novo, ao qual ainda não estava acostumada. Imaginava que o problema de sono fosse uma característica de sua filha. Para sua surpresa, nesta primeira noite, ainda com a desarrumação inevitável em qualquer mudança, a menina pegou no sono no instante em que se deitou na cama, e dormiu a noite inteira, tranqüilamente. Só então a mãe pôde tomar consciência de como o antigo quarto influenciava negativamente sua filha. As noites que se seguiram foram tranqüilas como a primeira, e continuam sendo assim há mais de dois anos.

Dicas para melhorar a energia dos ambientes para as crianças

Ao longo desses mais de vinte anos de prática do feng shui, tive a oportunidade de observar grandes mudanças ocorridas em crianças sensíveis quando os ambientes são harmonizados. Isso inclui meus próprios filhos, agora adolescentes, cada um com seu tipo diferente de sensibilidade.

No exemplo acima, o grau de nocividade do ambiente não poderia ser curado, apenas amenizado, e por isso recomendou-se a mudança de imóvel. Há casos mais brandos, no entanto, em que é possível adotar medidas harmonizadoras muito eficazes. Estas medidas podem incluir desde uma mudança na posição da cama, até a gama de cores predominante no quarto, formatos e tipos de sons recomendados. São, muitas vezes, soluções simples, mas que fazem uma grande diferença para a criança.

A melhor opção é contar com os conselhos de um terapeuta de ambientes, que apontará as melhores soluções para cada ambiente com base nos estudos do feng shui e da geobiologia. Enquanto isso, seguem algumas dicas que podem ser aplicadas em qualquer casa, e trazem melhoras significativas na qualidade da energia nos ambientes.

Aparelhos Eletrônicos

  • Se possível, remova todos os aparelhos eletrônicos do quarto das crianças e adolescentes. Não sendo possível, ligue todos os aparelhos em um filtro de linha com interruptor, e desligue durante a noite. Tudo que fica ligado na tomada gera um campo eltro-magnético artificial nocivo à saúde.
  • Separe um local em outro cômodo da casa para que os notebooks e tablets sejam guardados durante a noite, quando não estiverem em uso.
  • Use relógios-despertadores a pilha, no lugar dos celulares, ou no mínimo deixe-os no modo avião durante a noite. Nunca durma com o celular online (conectado à rede e ao wifi) na cabeceira, nem coloque o celular para carregar durante a noite próximo à cama.

Materiais Naturais

  • Use somente lençóis e colchas de algodão, nada de microfibra. Materiais sintéticos acumulam eletricidade estática e podem deixar seus filhos “elétricos”, prejudicando seriamente o sono.
  • Prefira também tapetes e cortinas de materiais naturais, como algodão, juta e linho.

Cores Suaves

  • Evite cores fortes e intensas em paredes, armários, tapetes, cortinas e colchas. Cores assim estimulam excessivamente o cérebro sensível das crianças da nova era, que possuem os sentidos bastante apurados.
  • Dê preferência a cores suaves nas superfícies maiores, e reserve as cores vivas para objetos decorativos menores.

Escuro é bom

  • Acostume desde cedo as crianças a dormirem no escuro. A melatonina, conhecida como o hormônio do sono, somente é produzida no escuro. Baixas taxas de melatonina estão associadas a distúrbios do sono, alterações de comportamento e dificuldade de aprendizado.
  • Deixe o quarto totalmente escuro, sem lâmpadas acesas. Evite até mesmo pequenas lâmpadas de led e rádio-relógio com números luminosos.
  • Use cortinas pesadas ou painéis tipo “black out” para barrar qualquer luz externa que entre pela janela à noite.

Experimente e verifique os resultados

Uma amiga andava desesperada com a recente alteração de comportamento de sua filha adolescente. A menina, que sempre foi tranquila, nos últimos tempos estava rebelde, irritada e começou a frequentar baladas, dormir tarde e acordar tarde. Parecia outra pessoa, segundo suas palavras.

Num primeiro momento, tal mudança foi creditada às alterações normais da adolescência, e a mãe cogitou até a possibilidade de alguma interferência espiritual. Ao tomar conhecimento dos efeitos negativos dos aparelhos eletrônicos, a mãe relatou assustada que no quarto da menina havia uma TV no pé da cama, computador, e ela dormia com dois aparelhos de celular embaixo do travesseiro.

Minha amiga imediatamente tomou as providências necessárias. A TV e o computador passaram a ficar desligados da tomada durante a noite, e os celulares desligados e longe da cama. Em menos de duas semanas a adolescente voltou a ser tranquila e alegre, como é sua característica natural.

Aplique você também essas recomendações no quarto dos seus filhos, e me conte os resultados!

Gostou das dicas? Veja mais no vídeo:


O conteúdo deste site é protegido pela Lei de Direitos Autorais (9.610/98) e pela lei do carma. Ao compartilhar integral ou parcialmente, cite a fonte.

Deixe um comentário

Usar conta do...



Esqueceu sua senha? Preencha com seu e-mail ou nome de usuário, e você receberá por e-mail um link para criar uma nova senha.
Para criar uma conta, clique em Minha Conta no menu principal.
Rolar para cima