Nas últimas décadas nós, ocidentais, fomos apresentados ao Feng Shui e a muitos outros conhecimentos de origem chinesa. Conceitos filosóficos ou de saúde já puderam ser, aos poucos, melhor assimilados por nossa mente lógica. O Feng Shui, no entanto, tem sido protagonista de diversas controvérsias, por nossa dificuldade em transportar 3.000 anos de pensamento oriental para o nosso ambiente físico.

As questões mais frequentes relacionam-se ao popular Feng Shui do Chapéu Preto, chamado por Mestres Chineses de Pseudo-Feng Shui ou “Fast Food Feng Shui”.

Apresentamos neste site alguns artigos de interesse sobre esse assunto. O que se segue trata das diferenças entre o Feng Shui Tradicional Chinês e o Feng Shui da Seita do Chapéu Preto do Budismo Têntrico Tibetano.

Feng Shui Tradicional Chapéu Preto
Tradição de mais de 3.000 anos na China. Baseado em conhecimentos metafísicos milenares: I Ching, Taoísmo, astronomia e astrologia, calendários, magnetismo. Criada pelo monge Thomas Lin Yun, nos anos 60. Lin Yun é o fundador da Seita do Chapéu Preto do Budismo Tântrico Tibetano, uma vertente do budismo não submetida ao Dalai Lama.
Ba Guá utilizado como ferramenta de interpretação, formado por trigramas e suas ricas associações a: números, direções, elementos, acidentes geográficos, membros da família, cores, partes do corpo, sabores, entre tantos outros. Ba Guá simplificado, em que a cada direção corresponde uma área da vida: carreira, família, fama, etc.
Posicionamento do Ba Guá seguindo a orientação dos Pontos Cardeais, usado como diagnóstico da energia básica, com a qual se relacionam as energias mais específicas de cada construção. Posicionamento do Ba Guá sempre seguindo o alinhamento da porta de entrada, independentemente da direção dos Pontos Cardeais.
Considera o fator tempo, através dos diferentes ciclos energéticos, na análise. Cada imóvel possui um padrão energético específico. Desconsidera qualquer variação de padrões energéticos ao longo do tempo. O padrão de distribuição das energias é fixo.
Classifica os objetos, do próprio local ou novos objetos, segundo seus padrões energéticos – teoria dos 5 Elementos – e os utiliza para equilibrar o fluxo do Chi. Utiliza objetos de cura pré-determinados, como bolas de cristal, sinos de vento, espelhos, baguás, flautas, vasos chineses, envelopes vermelhos.
Baseado em conceitos filosóficos e metafísicos, sem caráter religioso. Utiliza cerimônias de limpeza e cura provenientes do Budismo Tântrico Tibetano.
Analisa as energias do Universo, visando o posicionamento adequado no tempo-espaço. Visão holística de integração do Homem com a Natureza e o Universo. Utiliza a força do pensamento para moldar a energia. Homem como centro de influência máxima em relação às energias do Universo.

Para saber mais sobre Lin Yun, criador do Feng Shui do Chapéu Preto, veja o seguite artigo (em inglês): http://www.sfweekly.com/1998-08-26/news/in-the-money-corner/1


O conteúdo deste site é protegido pela Lei de Direitos Autorais (9.610/98) e pela lei do carma. Deseja reproduzir ou citar? Entre em contato!

  • Você precisa fazer login para comentar.
Aline Mendes · Casa Quantica
Rolar para cima